Pedalar em São Paulo é viável

Como muitos devem ter visto, hoje teve o primeiro debate dos candidatos à prefeitura de São Paulo na Band.

Um dos eventos mais interessantes foi a chegada da candidata Soninha Francine (PPS), que chegou “escoltada” por vários ciclistas, a maior parte deles integrantes da Bicicletada. Atitude elogiada inclusive pela ex-prefeita, Marta Suplicy.

Porém quebrar paradigmas é difícil. Quando o assunto foi comentado pelo candidato Ivan Valente (PSOL),  ele atacou a proposta da Soninha dizendo que bicicleta não é solução e que São Paulo precisa investir no transporte sobre trilhos. Para apoiar uma boa alternativa, ele descartou outra excelente, infelizmente.

Sou completamente a favor do transporte sobre trilhos. A região metropolitana carece de um transporte decente, de qualidade, com maior alcance, seguindo os moldes europeus. Porém, isso não tira a importância da bicicleta e muito menos dos cuidados que os mais de 300 mil usuários atuais da bike precisam para não correr riscos de morte durante suas viagens.

Ainda questionaram assuntos míticos como a topografia da cidade, bem acidentada. Para responder a esse assunto, colo um trecho de um texto da própria Soninha, após pedalar conosco na Bicicletada dessa última sexta-feira:

“Ontem fui à Bicicletada. Provando, entre outras coisas, que não precisa ser atleta para se locomover de bicicleta por aí. Veja o meu caso: 40 anos (a um mês dos 41), sedentária (meu grande exercício é subir escada, porque não tenho saco pra esperar elevador), pedalo uma vez por semana e uma distância curta (casa-trabalho). Mas ontem eu fui da Câmara até a Praça do Ciclista na Paulista (subindo a Augusta), depois bicicletamos pela Haddock Lobo, Estados Unidos, Cristiano Viana; subimos a Teodoro, pegamos Doutor Arnaldo e Paulista, descemos a Vergueiro, Liberdade e fomos (uns cento e poucos, a essa altura) circular em volta do Marco Zero, felizes da vida, e tirar foto nas escadarias da catedral da Sé. Seguimos até o Largo São Bento, São João, Ipiranga e São Luis. Eu voltei pra Câmara e o pessoal subiu a Consolação; uma turma ia pegar um ônibus para participar da Bicicletada em Curitiba!

Eu estava tão bem, tão sem cansaço, que poderia ter pedalado mais uma hora numa boa (foram quase três). E acordei hoje sem um vestígio de dor.”

Fonte: Blog da Soninha

Soninha em sua Dahon

Soninha em sua Dahon

Perceberam? Uma mulher de 40 anos, de porte físico comum, que não pratica atividade física freqüentemente, pedalando mais de 20km com uma bicicleta de baixa performance (uma Dahon Curve), encarando várias subidas (Augusta, Teodoro Sampaio)… disse que conseguiu numa boa e ainda topava mais.

Quem diz que não dá pra andar de bicicleta em São Paulo não sabe do que está falando. Provavelmente nunca andou e tem medo. Aliás, isso só prova que a Soninha sabe do que está falando e não está sendo pragmática como alguns outros.

Se você também tem medo, faça como a Soninha e vem pedalar com a gente… perca o medo, seus preconceitos e se apaixone! Só vai fazer bem para você, eu garanto 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s